foto 2 Helen Lopes.jpg

Um discurso para a minha avó encontra-se nos espaços de esquecimento profundo, nas memórias que foram soterradas ao longo de gerações. Uma trajetória de peregrinação em busca das ancestralidades que carregam o corpo da atriz e de uma narrativa criada a partir da lembrança da avó que a neta pensou que se lembrava mas que inventava, e da avó que pensou que se tinha esquecido mas que ainda se recordava.